Image
Image

Comunicados

pdf Press-release de 1 de fevereiro de 2018 Popular

Em Comunicados

Press-release de 1 de fevereiro de 2018

Europeus escolhem a “Árvore Europeia de 2018”
Encontra-se a decorrer a 8.ª edição do concurso “Tree of the Year" que conta pela primeira vez com uma árvore portuguesa, um Sobreiro que é a Árvore Nacional de Portugal
Lisboa, 1 de Fevereiro de 2018 – 13 países participam este ano na 8ª edição do concurso europeu Tree of the Year.

Durante o mês de fevereiro, todos podem escolher a sua árvore preferida através de um sistema de votação on-line em https://www.treeoftheyear.org.

O Tree of the Year realça a ligação emocional que as pessoas e as próprias comunidades mantêm com as árvores, bem como a sua importância para o património natural e cultural da Europa. Entre as histórias partilhadas este ano, destaca-se a árvore portuguesa, o Sobreiro Assobiador, o maior sobreiro de Portugal.

pdf Press-release de 11 de dezembro de 2017 Popular

Em Comunicados

Press-release de 11 de dezembro de 2017

Lançamento do Projeto INCREdible - Innovation Networks of Cork, Resin and Edibles in the Mediterranean basin

Parceiros de oito países (entre os quais a UNAC - União da Floresta Mediterrânica) reuniram-se em Barcelona para a reunião inicial do projeto INCREdible - Redes de Inovação de Produtos Florestais Não Lenhosos na Bacia Mediterrânica

Lisboa, 11 de Dezembro de 2017 – Coordenado pela EFIMED o INCREdible é um projeto colaborativo europeu financiado pelo H2020, que envolve 13 parceiros de 8 países (Portugal, França, Espanha, Itália, Grécia, Tunísia, Bélgica e Croácia).

Tem como objetivo a criação de redes de inovação e transferência de conhecimento sobre produtos florestais não lenhosos (PFNL), colaborando no desenvolvimento de modelos de negócios inovadores e estratégias económicas inclusivas para as regiões rurais.

pdf Press-release de 2 de outubro de 2017 Popular

Em Comunicados

Press-release de 2 de outubro de 2017

UNAC afirma que Estrategia Nacional de Conservacao da Natureza e Biodiversidade (ENCNB 2025) ignora os produtores florestais

A proposta de ENCNB 2025 que esteve em consulta publica nao reflete o facto da conservacao da natureza e da gestao da biodiversidade ter de ser feita, quase em exclusividade, em areas privadas

Para mais informacoes contacte:

Nuno Mendes Calado
Secretario Geral
T: 21 710 00 14

pdf Press-release de 31 de agosto de 2016 Popular

Em Comunicados

Press-release de 31 de agosto de 2016

REPROGRAMAÇÃO DO PDR 2020 INSUFICIENTE PARA AS INTENÇÕES DE INVESTIMENTO FLORESTAL APRESENTADAS NA ÁREA DA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS, SANIDADE FLORESTAL E MELHORIA DA RESILIÊNCIA FLORESTAL

UNAC apresenta ao Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural propostas para desbloquear os problemas do investimento florestal no PDR 2020 e o risco de baixa execução.

pdf Press-release de 16 de dezembro de 2015 Popular

Em Comunicados

Press-release de 16 de dezembro de 2015

AMOSTRAGEM CLARIFICA QUE O RENDIMENTO DA PINHA EM 2015/2016 É SUPERIOR A 3%

Lisboa, 16 de dezembro de 2015 – No seguimento de notícias relacionadas com a quebra do rendimento da pinha em miolo de pinhão, entende a UNAC – União da Floresta Mediterrânica apresentar os seguintes esclarecimentos ao mercado e aos seus operadores: produtores, prestadores de serviços, industriais e comerciantes:
1. Uma das associadas da UNAC, a APFC - Associação de Produtores Florestais do Concelho de Coruche e Limítrofes, executou uma amostragem em 8 propriedades dispersas pelo concelho de Coruche de modo a representar a totalidade da área de produção de pinha da região.
2. Numa amostra de cerca de 759 kg de pinha verde foi obtido um rendimento médio da pinha em miolo de pinhão de 3,32%, com um valor mínimo de 2,60% e um valor máximo de 3,83% (mais informações em http://www.apfc.pt/xms/files/Docs/Comunicado_Campanha_da_Pinha.pdf).
3. Este resultado de rendimento médio da pinha em miolo de pinhão de 3,32% está dentro dos valores históricos considerados normais, com rendimentos que variam entre 3,0% e 4,0%.
4. Não é por isso justificável que o rendimento da pinha em miolo de pinhão seja utilizado como um factor de depreciação do preço de mercado da pinha.

Reforçamos ainda que a determinação rigorosa da quantidade de pinha que se vende é o primeiro passo do processo de comercialização, pelo que a pesagem é a única forma que permite aferir a quantidade de pinha produzida e efetivamente comercializada.

Recordamos ainda a todos os operadores que a entrada em vigor do Decreto-Lei n.º77/2015, determinou que a colheita, transporte, armazenamento, transformação, importação e exportação de pinhas passam a estar sujeitos a uma comunicação prévia ao ICNF, a ser submetida por via eletrónica através do Sistema de Informação da Pinha de Pinheiro Manso (SiP).

Para mais informações contacte:
Nuno Mendes Calado
Secretario Geral
UNAC - União da Floresta Mediterrânica
T: 21 710 00 14 | 912 344 531
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

pdf Press-release de 5 de novembro de 2015 Popular

Em Comunicados

Press-release de 5 de novembro de 2015

Foi apresentada publicamente a AGENDA PORTUGUESA DE INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO NO SOBREIRO E NA CORTIÇA - AGENDA 3I9
Lisboa, 5 de novembro de 2015

Decorreu no dia 5 de novembro, no Auditório da CAP - Confederação dos Agricultores de Portugal, em Lisboa, a apresentação pública da Agenda Portuguesa de Investigação e Inovação no Sobreiro e na Cortiça - Agenda 3i9.

A sessão de apresentação foi iniciada pelo presidente da CAP, João Machado, que mencionou a importância da fileira do sobreiro e da cortiça no panorama económico nacional, tendo congratulado o centro de competências do sobreiro e da cortiça pela iniciativa e pelo trabalho desenvolvido.

A apresentação da Agenda 3i9 esteve a cargo da Equipa de Coordenação do Centro de Competências do Sobreiro e da Cortiça, representada pelo Eng.º António Gonçalves Ferreira (FILCORK - Associação Interprofissional da Fileira da Cortiça) e pela Prof. Dra. Teresa Soares David (INIAV - Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária).
António Gonçalves Ferreira referiu que o acrónimo "Agenda 3i9" pretende refletir o horizonte temporal de intervenção - o curto prazo correspondente a um ciclo produtivo de 9 anos, o médio prazo correspondente a 3 ciclos produtivos de 9 anos, e a interligação de três componentes primordiais - investigação, inovação e interação entre linhas de atuação. Mencionou ainda que como corolário desta Agenda 3i9 pretende-se a obtenção de mais e melhor cortiça, maior resiliência dos montados portugueses e a sua perenidade produtiva, num investimento de investigação e inovação projetado num horizonte de três ciclos de produção, potenciando sinergias entre os agentes da fileira e melhorando a partilha dos recursos.
A Agenda 3i9 foi construída com base num processo participativo de auscultação dos parceiros do CCSC, que envolveu 81 investigadores e técnicos de 27 entidades, em reuniões sectoriais realizadas em Julho de 2015. Como resultado, foram identificadas 5 ações de suporte facilitadoras, que potenciam sinergias entre os agentes e melhoram a partilha dos recursos, e elencaram-se um conjunto de ações de investigação prioritárias, que integram as linhas estruturantes de cinco planos funcionais:
1) Plano Nacional de Melhoramento
2) Plano Nacional de Melhoria da Produtividade
3) Plano Nacional de Defesa contra Agentes Bióticos
4) Plano Nacional de Qualidade da Cortiça
5) Plano Nacional de Ação Territorial
No período de comentários, onde participaram o presidente do INIAV (Dr. Nuno Canada), a presidente do ICNF (Eng.ª Paula Sarmento) e uma representante do Centro de Estudos Florestais do ISA (Prof. Margarida Tomé) as opiniões foram consonantes relativamente à importância desta agenda e aos passos que se devem seguir, de que destacaram a necessidade de garantia de financiamento (ICNF), a sinergia de trabalhos entre as instituições (ISA) e a importância de se olhar par a par para investigação e inovação (INIAV).
O encerramento esteve a cargo do Exmo. Sr. Secretário de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar, Dr. Nuno Vieira e Brito, que reafirmou o empenho do Estado Português relativamente aos centros de competência, e muito especialmente, ao Centro de Competências do Sobreiro e da Cortiça, que abrange uma fileira em que Portugal é líder em termos mundiais.

A Agenda 3i9 ficará disponível para consulta e download no site do INIAV (www.iniav.pt), da FILCORK (www.filcork.pt) e da UNAC (www.unac.pt).

Para mais informações contacte:
FILCORK - Associação Interprofissional da Fileira da Cortiça
T: 21 710 00 27
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

UNAC - União da Floresta Mediterrânica
T: 21 710 00 14
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

pdf UNAC entrega na DRAP Alentejo o pedido de reconhecimento e de qualificação do pinhão como D.O.P. "PINHÃO DE ALCÁCER DO SAL" Popular

Em Comunicados

UNAC entrega na DRAP Alentejo o pedido de reconhecimento e de qualificação do pinhão como D.O.P. "PINHÃO DE ALCÁCER DO SAL"

Foi entregue pela UNAC, numa audiência com o Exmo. Sr. Diretor Regional da DRAP Alentejo, Eng.º Francisco Murteira, o pedido que dará início ao processo para a constituição da DOP "Pinhão de Alcácer do Sal".

Lisboa, 15 de Julho de 2015 – Uma delegação da UNAC esteve ontem reunida com o Diretor Regional da Agricultura e Pescas do Alentejo, Eng.º Francisco Murteira, para entregar formalmente o pedido de reconhecimento e qualificação necessário à constituição da DOP para o "Pinhão de Alcácer do Sal".
A Denominação de Origem Protegida (DOP) é o nome de um produto cuja produção, transformação e elaboração ocorrem numa área geográfica delimitada com um saber fazer reconhecido e verificado. O registo de uma DOP proíbe práticas conducentes à prática de imitações, concorrência desleal e/ou usos indevidos/abusivos de determinado produto ou marca.
O problema na fileira do pinhão já tinha sido identificado há muito: a importação de pinhão asiático na UE e a adulteração do produto nacional (por mistura de pinhões de origem asiática com pinhão de Pinus pinea) originou uma perda generalizada de qualidade do pinhão e de diminuição do seu valor nutricional. Esta situação resultou na comercialização de pinhão com designações associados ao Pinus Pinea ou à sua origem Mediterrânica (“Pine nuts”; Pignoli; Pignolia) mas que no fundo não o são. A ausência de rastreabilidade e a deficiente informação por parte do consumidor fomentaram o desenvolvimento desta prática.
O registo de uma DOP possibilita assim a diminuição da concorrência desleal do pinhão de outras proveniências, a garantia ao consumidor comum de um produto de qualidade, a garantia em termos de segurança alimentar, o acesso a nichos de mercado mais exigentes e a Valorização e Proteção de um produto regional com elevadas características nutricionais amplamente reconhecidas.
A zona da DOP tem assim presente as características do Pinhão de Alcácer do Sal condicionadas pelas variáveis clima, solos, área geográfica de produção e região de proveniência. As características qualitativas e organoléticas do produto, ligam-no de forma inequívoca às condições de solo e clima, próprias desta região incluindo também a determinação do período de apanha e a seleção, acondicionamento e apresentação comercial do produto.
O uso da denominação de origem “Pinhão de Alcácer do Sal - DOP" fica reservado aos produtos que obedeçam às características fixadas no respetivo Caderno de Especificações, aos produtores expressamente autorizados pelo Agrupamento Gestor, que se comprometam a respeitar todas as disposições constantes do Caderno de Especificações e se submetam a controlo a realizar pelo Organismo Privado de Controlo e Certificação (OPC) reconhecido.

Para mais informações contacte:
UNAC - União da Floresta Mediterrânica
Rua Mestre Lima de Freitas, n.º 1
1549-012 Lisboa
T: 21 710 00 14 | 912 344 531
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
www.unac.pt

Notas para os Editores
A UNAC – União da Floresta Mediterrânica representa os interesses dos produtores florestais do espaço mediterrânico português junto das instituições nacionais e europeias, através de uma estratégia de intervenção de cariz técnico-político. Acompanha e analisa todos os processos e iniciativas com relevância e interesse para os seus associados, como é o caso das políticas rurais, florestais, ambientais e fiscais. Através da UNAC, as organizações de produtores florestais do espaço mediterrânico definem posições comuns sobre temas estratégicos e transversais, desenvolvendo contributos e participações válidas, construtivas e tecnicamente fundamentadas. Tem uma área territorial de influência de dois milhões de hectares.

pdf Press-release de 11 de outubro de 2013 Popular

Em Comunicados

Press-release de 11 de outubro de 2013

Fórum para o Futuro da Agricultura

Alimentar o mundo preservando o ambiente

Lisboa, 11 de Outubro de 2013 - Cerca de 400 especialistas estiveram reunidos no Fórum para o Futuro da Agricultura na Europa (FFA), em Lisboa, a 8 de Outubro, para debater o maior desafio da atualidade: produzir mais alimentos, preservando o ambiente. Desta reunião resultou «um conjunto de opiniões fundamentadas que possibilitam que cada vez mais o sector agrícola se posicione como um sector ambiental», concluiu a organização do FFA.

O secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, que encerrou o evento, sublinhou a pertinência do FFA e o importante contributo deste debate para o desenvolvimento das políticas públicas. Francisco Gomes da Silva lembrou o «crescente reconhecimento público da agricultura em Portugal» e disse que «os agricultores estão a usar cada vez mais tecnologia sustentável do ponto de vista ambiental», dando o exemplo da «agricultura de regadio, onde a eficiência do uso da água aumentou em mais de 30% na última década».

O FFA Lisboa equacionou as questões, ouviu opiniões, auscultou a assistência e transmitiu aos decisores um conjunto de opiniões fundamentadas que possibilite que cada vez mais o sector agrícola seja também um sector ambiental.

A próxima edição do Fórum para o Futuro da Agricultura na Europa está já agendada para 1 de Abril, em Bruxelas, tendo como tema central o acordo de livre comércio entre a União Europeia e os EUA.
Para mais informações contacte:
Nuno Mendes Calado
Secretario Geral
UNAC - União da Floresta Mediterrânica
T: 21 710 00 14 | 912 344 531
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

pdf DECRETO-LEI N.º 96/2013 DE 19 DE JULHO Popular

Em Comunicados

DECRETO-LEI N.º 96/2013 DE 19 DE JULHO

Estabelece o Regime Jurídico a que estão sujeitas, no território continental, as ações de arborização e rearborização com recurso a espécies florestais.

Foi publicado na passada 6.ª feira 19 de Julho o Decreto-Lei n.º 96/2013 que estabelece o Regime Jurídico a que estão sujeitas, no território continental, as ações de arborização e rearborização com recurso a espécies florestais.

De forma a simplificar o processo de análise às alterações decorrentes, a UNAC elaborou uma ficha síntese com as principais alterações introduzidas por este novo diploma (ver anexo).

Recordamos que este documento é uma síntese do diploma em questão não dispensando a leitura atenta da legislação em causa.

pdf Press-release de 17 de junho de 2013 Popular

Em Comunicados

Press-release de 17 de junho de 2013

PROJETO TERRAPRIMA - UNAC / FUNDO PORTUGUÊS DE CARBONO – CONTROLO DOS MATOS - 3.ª FASE DE ADESÃO
Seja remunerado pelo sequestro de carbono no solo em áreas de montado, pinheiro manso e carvalho-negral, no sul e interior centro do país, ao controlar o mato com recurso a métodos não destrutivos para o solo.

Lisboa, 17 de Junho de 2013 – Está neste momento a decorrer a 3.ª fase de adesão ao Projeto Controlo dos Matos, um projeto da Terraprima– Serviços Ambientais, Lda., implementado em colaboração com a UNAC (União da Floresta Mediterrânica) e com o apoio do Fundo Português de Carbono.

Os aderentes totalizam uma área total contratada que já ultrapassa os 40.000 hectares, tendo já recebido o pagamento referente ao primeiro ano de compromisso, o que evidencia o interesse que este projeto está a gerar.

Ao aderir ao projeto, os agricultores comprometem-se a fazer o controlo de mato com recurso a métodos não lesivos para o solo durante os quatro anos do Projeto (1 de Janeiro de 2011 a 31 de Dezembro de 2014). A consequente acumulação de matéria orgânica permitirá sequestro de carbono, um serviço ambiental pelo qual os agricultores serão remunerados a 40 EUR por ha.

São elegíveis os agricultores que já procediam ao controlo dos matos com corta-matos ou destroçador antes do período de compromisso ou os que, tendo utilizado grade antes do projeto, pretendam mudar para um destes métodos. São elegíveis áreas de sobro, azinho, pinheiro manso e carvalho negral, no sul e interior centro do país, periodicamente submetidas a controlo de mato e que não tenham sido gradadas desde 1 de Janeiro de 2011.

Para aderir formalmente ao Projeto, ou para obter esclarecimentos relativamente à sua elegibilidade, o agricultor deve dirigir-se a uma das Associadas da UNAC, com os P3 das áreas intervencionadas ou a intervencionar no período de compromisso e com um planeamento das intervenções. Os técnicos das Associadas farão o devido acompanhamento do processo de adesão.

Mais informações em http://agricultores.extensity.pt/

Para mais informações contacte:

Nuno Mendes Calado
Secretario Geral
UNAC - União da Floresta Mediterrânica
T: 21 710 00 14 | 912 344 531
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

NOTAS PARA OS EDITORES

A UNAC – União da Floresta Mediterrânica representa os interesses dos produtores florestais do espaço mediterrânico português junto das instituições nacionais e europeias, através de uma estratégia de intervenção de cariz técnico-político. Acompanha e analisa todos os processos e iniciativas com relevância e interesse para os seus associados, como é o caso das políticas rurais, florestais, ambientais e fiscais. Através da UNAC, as organizações de produtores florestais do espaço mediterrânico definem posições comuns sobre temas estratégicos e transversais,desenvolvendo contributos e participações válidas, construtivas e tecnicamente fundamentadas. Tem uma área territorial de influência de dois milhões de hectares.

A Terraprima- Serviços Ambientais é uma empresa "spin-off" do Instituto Superior Técnico (IST). Surgiu na sequência do projeto "Extensity - Sistemas de Gestão Ambiental e de Sustentabilidade na Agricultura Extensiva", coordenado pelo IST. O projeto demonstrou o grande potencial de sequestro de carbono no solo pelas pastagens permanentes semeadas biodiversas e ricas em leguminosas (PPSBRL).

pdf A UNAC faz parte da Comissão de Cooperação do 7.º Congresso Florestal Nacional Popular

Em Comunicados

A UNAC faz parte da Comissão de Cooperação do 7.º Congresso Florestal Nacional

A UNAC aceitou o convite da Sociedade Portuguesa das Ciências Florestais para integrar a Comissão de Cooperação do 7.º Congresso Florestal Nacional, subordinado ao tema "Florestas – Conhecimento e Inovação" que vai realizar-se de 5 a 8 de Junho de 2013, em Vila Real (5 e 6) e Bragança (7 e 8).
Mais informações em: http://esa.ipb.pt/7cfn2013/

pdf Comércio de madeira e produtos derivados de madeira - Novas regras europeias Popular

Em Comunicados

Comércio de madeira e produtos derivados de madeira - Novas regras europeias

«Regulamento que fixa as obrigações dos operadores que colocam no mercado madeira e produtos de madeira» | UE 995/2010 | entra em vigor em 3 março de 2013.

Em Outubro de 2010, a União Europeia adotou um novo regulamento (Regulamento que fixa as obrigações dos operadores que colocam no mercado madeira e produtos de madeira | UE 995/2010) relativo à madeira com o objetivo de combater o comércio de madeira extraída ilegalmente.

Este regulamento entra em vigor em 3 março de 2013 e traz obrigações para todos os operadores económicos que transacionem madeira e produtos dela derivados.

Salienta-se a seguinte informação:

Aplica-se aos produtores florestais?

Depende:

Se vender a madeira em pé não, já que não é responsável pela 1.ª introdução da madeira no mercado.
Se efetuar a venda da madeira após o corte, o regulamente já é aplicável, e o produtor é considerado um operador. Neste caso o produtor tem de ter um sistema de «devidas diligências» que assenta na obrigação, por parte dos operadores, de efetuarem uma gestão dos riscos a fim de minimizar o risco da colocar madeira extraída ilegalmente, ou produtos de madeira que contenham essa madeira, no mercado da União Europeia.

Quais são os produtos abrangidos pelo regulamento?

O regulamento é aplicável à madeira e aos produtos de madeira importados e produzidos internamente. O regulamento abrange uma vasta gama de produtos de madeira, incluindo produtos de madeira maciça, pavimentos, contraplacado, pasta e papel. Não abrange produtos reciclados, vime, bambu e papel impresso, como livros, revistas e jornais.
Não abrange cortiça ou pinha, apenas madeira.

Para mais informações, consultar:
http://ec.europa.eu/environment/forests/timber_regulation.htm

Em 2013 estará disponível mais informação que a UNAC divulgará.

pdf Press-release de 14 de janeiro de 2013 Popular

Em Comunicados

Press-release de 14 de janeiro de 2013

UNAC participa em Conferência Internacional sobre Estratégias de Prevenção de Incêndios Florestais

Seminário reuniu especialistas e estudos de caso sobre estratégias de prevenção florestal nos Países do Sul da Europa

Lisboa, 14 de Janeiro de 2013 – Nos passados dias 7 e 8 de Janeiro, a UNAC - União da Floresta Mediterrânica participou na 4.ª Conferência Internacional "Strategies on Forest Fire Prevention in Southern European Forests", que decorreu em Bordéus, França.

Organizado pela USSE – União dos Silvicultores do Sul da Europa, pelo Instituto Europeu da Floresta Cultivada e pela Associação Regional de Defesa da Floresta Contra Incêndios da Aquitânia, esta Conferência Internacional pretendeu identificar, avaliar e apresentar diferentes estratégias de sucesso no âmbito da prevenção contra incêndios florestais (http://www.efiatlantic.efi.int/portal/events/forum_dfci/), contou com participantes de diversos países europeus.

A UNAC foi convidada a apresentar a estratégia de prevenção desenvolvida pelas suas associadas, a qual assenta em cinco eixos de intervenção: fomento da gestão e do investimento florestal; criação de zonas de intervenção florestal; criação de Sistemas de Defesa da Floresta Contra Incêndios; desenvolvimento da certificação florestal e criação de um seguro contra incêndios florestais, e para identificar quais são os obstáculos ao apoio ao investimento em matéria de DFCI, questão relevante no âmbito do próximo Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020.

A apresentação da UNAC encontra-se disponível para download aqui

pdf Press-release de 28 de setembro de 2012 Popular

Em Comunicados

Press-release de 28 de setembro de 2012

CELEBRAÇÃO DO FSC FRIDAY
No dia 28 de Setembro, o Forest Stewardship Council ® (FSC) celebra os espaços florestais existentes no mundo inteiro.
Desde 2008, que a última sexta-feira do mês de Setembro, designada por Sexta-feira FSC (FSC Friday), é comemorada, tendo como objetivo sensibilizar a sociedade civil para a importância de uma gestão florestal responsável e para o significado da marca FSC.
Aproveitando a celebração do FSC Friday, podemos informar que a área certificada nas associadas da UNAC totaliza já 100.000 hectares, o que representa 30% da área total certificada pelo FSC em Portugal.
Convidamos por isso todas as pessoas e entidades a pensar sobre os produtos florestais (madeira, cortiça, papel, cartão, embalagens, etc.) que compram habitualmente e a procurar os que têm a marca FSC, a marca da gestão florestal responsável.

pdf Press-release de 10 de abril de 2012 Popular

Em Comunicados

Press-release de 10 de abril de 2012

CONCLUSÕES DA CONFERÊNCIA "Floresta Mediterrânica – abordagens inovadoras na gestão e nos mercados"
Lisboa, 10 de Abril de 2012 – No passado dia 28 de Março, a UNAC - União da Floresta Mediterrânica promoveu a conferência "Floresta Mediterrânica – abordagens inovadoras na gestão e nos mercados" no decurso do SIAG – Salão Internacional de Agro-Negócios, que decorreu no CNEMA em Santarém.
Este seminário reuniu exemplos de abordagens inovadoras no setor florestal.

pdf Press-release de 20 de março de 2012 Popular

Em Comunicados

Press-release de 20 de março de 2012

10º Aniversário UNAC
Lisboa, 20 de Março de 2012 – Há 10 anos foi iniciada a implementação de uma estratégia com o objetivo de criar uma estrutura associativa que representasse os interesses dos espaços agroflorestais da região mediterrânica, a UNAC – União da Floresta Mediterrânica.
Para comemorar estes dez anos, lançamos um novo portal - www.unac.pt - o qual será uma nova ferramenta de comunicação das nossas atividades e projetos.

pdf Press release de 8 de março de 2012 Popular

Em Comunicados

Press release de 8 de março de 2012

UNAC ORGANIZA CONFERÊNCIA NO ÂMBITO DO SIAG - SALÃO INTERNACIONAL DE AGRO-NEGÓCIOS

Seminário reúne estudos de caso sobre abordagens inovadoras na gestão e nos mercados florestais.

pdf Press-release de 5 de dezembro de 2011 Popular

Em Comunicados

Press-release de 5 de dezembro de 2011

Campanha da Pinha 2011/2012
Na sequência de notícias vinda a público sobre a sustentabilidade da produção de pinha em Portugal, entende a UNAC – União da Floresta Mediterrânica apresentar os seguintes esclarecimentos ao mercado e aos seus operadores: produtores, prestadores de serviços, industriais e comerciantes

pdf Press-release de 15 de março de 2011 Popular

Em Comunicados

Press-release de 15 de março de 2011

UNAC participa em Jornada no Parlamento Europeu sobre Prevenção de Incêndios Florestais

pdf Press-release de 26 de abril de 2010 Popular

Em Comunicados

Press-release de 26 de abril de 2010

Programa Prós e Contras subordinado ao tema "Para comer é preciso produzir" - 26 Abril 2010

© 2018 UNAC. All Rights Reserved. Powered By Agri-Ciência

Search